📅 Atenção! Devido ao estado de calamidade pública, os prazos nos procedimentos do MPT-RS que vencerem neste período ficam prorrogados até 6/6, com exceção dos casos urgentes, relativos à calamidade pública, e os declarados pelo(a) membro(a) oficiante. Ademais, faculta-se ao(à) membro(a) oficiante a realização de audiências na modalidade telepresencial.


☎️ O atendimento ao público segue pelos canais online e, no horário de expediente, pelos seguintes telefones:

PRT Porto Alegre (51) 3252-1500
PTM Caxias do Sul (54) 3201-6000
PTM Novo Hamburgo (51) 3553-7250
PTM Passo Fundo (54) 3316-4300
PTM Pelotas (53) 3310-7700
PTM Santa Cruz do Sul (51) 3740-2550
PTM Santa Maria (55) 3174-1200
PTM Santo Ângelo (55) 3931-3300
PTM Uruguaiana (55) 3414-4800

⚠️ Recomendação nº 1/2024: emissão gratuita de atestados de exposição a enchentes
⚠️ Recomendação nº 2/2024: adoção de medidas trabalhistas alternativas e diálogo social

Coordinfância organiza combate a trabalho infantil no cultivo do fumo na região Sul

Reunião inicial do grupo de estudo aconteceu na manhã desta segunda-feira (24), no MPT-RS

     A Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho de Crianças e Adolescentes (Coordinfância), do Ministério Público do Trabalho (MPT), criou grupo de estudo para o combate ao trabalho infantil na indústria do tabaco. O objetivo é concentrar os esforços de atuação do MPT nos três Estados da região Sul do Brasil, onde as lavouras de fumo se concentram. A reunião inicial, realizada no MPT-RS, foi conduzida pelo coordenador nacional da Coordinfância, procurador do Trabalho Rafael Dias Marques (MPT-PA), contando com a participação dos coordenadores regionais da Coordinfância no Rio Grande do Sul, Patrícia de Melo Sanfelici; em Santa Catarina, Marcelo Goss Neves; e no Paraná, Margaret Matos de Carvalho; além do procurador-chefe adjunto do MPT-RS, Rogério Uzun Fleischmann, dos procuradores do Trabalho Enéria Thomazini e Bernardo Mata Schuch (ambos do MPT em Santa Cruz do Sul) e da assistente social do MPT-RS, Vitória Raskin.

Procuradores Rafael, Patrícia, Enéria, Marcelo e Bernardo, e a assistente social Vitória
Procuradores Rafael, Patrícia, Enéria, Marcelo e Bernardo, e a assistente social Vitória

     De acordo com o coordenador Rafael, a maior dificuldade no combate ao trabalho infantil no setor é a pulverização das unidades produtoras do tabaco, em territórios amplos, dificultando a fiscalização. “O sistema de integração, pelo qual a indústria fumageira entrega ao pequeno produtor os insumos para a produção do fumo, impõe inúmeras dificuldades de fiscalização, porque os produtores estão em diversos locais, de difícil acesso”, explica. A organização do grupo regional, de acordo com o coordenador, é uma ferramenta de otimização, racionalização e uniformização de trabalho, já usada pela Coordinfância no combate ao trabalho infantil na indústria do babaçu e carvão, além da promoção da aprendizagem de adolescentes em grandes empresas.

     Foram discutidos na reunião aspectos das redes de proteção locais, a eficácia de ações promocionais já tomadas no passado, como audiências públicas, e a necessidade de programa de políticas públicas complementar à atuação promocional e repressiva. O grupo deve realizar, no próximo mês, diagnóstico da situação em cada Estado e contato com órgãos locais para parcerias.

Foto e texto: Luis Nakajo (analista de Comunicação)
Fixo Oi (51) 3284-3092 | Móvel Claro (51) 9124-3415
Supervisão: Flávio Wornicov Portela (reg. prof. MTE/RS 6132)
Fixo Oi (51) 3284-3066 | Móvel Claro com WhatsApp (51) 9977-4286 
prt4.ascom@mpt.mp.br | facebook.com/MPTnoRS | twitter.com/mpt_rs

Tags: Agosto

Imprimir