📅 Atenção! Devido ao estado de calamidade pública, os prazos nos procedimentos do MPT-RS que vencerem neste período ficam prorrogados até 6/6, com exceção dos casos urgentes, relativos à calamidade pública, e os declarados pelo(a) membro(a) oficiante. Ademais, faculta-se ao(à) membro(a) oficiante a realização de audiências na modalidade telepresencial.


☎️ O atendimento ao público segue pelos canais online e, no horário de expediente, pelos seguintes telefones:

PRT Porto Alegre (51) 3252-1500
PTM Caxias do Sul (54) 3201-6000
PTM Novo Hamburgo (51) 3553-7250
PTM Passo Fundo (54) 3316-4300
PTM Pelotas (53) 3310-7700
PTM Santa Cruz do Sul (51) 3740-2550
PTM Santa Maria (55) 3174-1200
PTM Santo Ângelo (55) 3931-3300
PTM Uruguaiana (55) 3414-4800

⚠️ Recomendação nº 1/2024: emissão gratuita de atestados de exposição a enchentes
⚠️ Recomendação nº 2/2024: adoção de medidas trabalhistas alternativas e diálogo social

Prefeitura de Porto Alegre condenada por estágios irregulares

Município tem cerca de 3 mil estagiários; com decisão, deve realizar seleção objetiva prévia à contratação ou renovação de estágios

     O Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Sul (MPT-RS) obteve a condenação do Município de Porto Alegre em ação civil pública (ACP), ajuizada por irregularidades de estágio. A decisão obriga os órgãos da administração municipal, com cerca de 3 mil estagiários, a realizar processo seletivo público com critérios objetivos definidos previamente em edital. A determinação vale tanto para renovações de contratos atuais como para admissão de novos estagiários.

     O pedido do MPT na ACP tem como objetivo o respeito aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência da Administração Pública, explica, na inicial, o procurador do Trabalho Noedi Rodrigues da Silva. Como realizada atualmente, com triagem de currículos e entrevista, a seleção deixa aberta a possibilidade de utilização de vagas de estágio para fins eleitorais e financiamento de campanhas. O Município tem uma média mensal de admissões de 500.

     Acórdão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT4) proveu recurso do MPT para acrescer multa por descumprimento de R$ 5 mil por estagiário indevidamente admitido, mais pagamento de indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 50 mil, valores reversíveis ao Fundo Municipal do Direito da Criança e do Adolescente (Funcriança). Também foi concedida antecipação de tutela, portanto as determinações valem imediatamente, a despeito de eventuais recursos do Município.

     O Município se recusou a firmar termo de ajuste de conduta (TAC), proposto pelo MPT. A ação foi julgada pela 18ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, com posterior acréscimo à condenação pela 4ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho (TRT4), mediante recurso da procuradora do Trabalho Patrícia de Melo Sanfelici, atuação do procurador regional do Trabalho Lourenço Agostini de Andrade​ e relatoria do desembargador do Trabalho André Reverbel Fernandes.

Clique aqui para acessar a sentença

Clique aqui para acessar o acórdão

ACP 0020827-54.2014.5.04.0018

Texto: Luis Nakajo (analista de Comunicação)
Fixo: (51) 3220-8328

Supervisão: Flávio Wornicov Portela (reg. prof. MT/RS 6132)
Fixo Oi (51) 3220-8327 | Móvel Claro (51) 9977-4286 com WhatsApp
prt4.ascom@mpt.mp.br | facebook.com/MPTnoRS | twitter.com/mpt_rs

Tags: Setembro

Imprimir