• Procuradorias
  • PTM Caxias do Sul
  • Empresa da coleta de lixo de Canela, Gramado e S. Francisco de Paula se compromete a cumprir legislação protetiva de empregados

📅 Atenção! Devido ao estado de calamidade pública, os prazos nos procedimentos do MPT-RS que vencerem neste período ficam prorrogados até 6/6, com exceção dos casos urgentes, relativos à calamidade pública, e os declarados pelo(a) membro(a) oficiante. Ademais, faculta-se ao(à) membro(a) oficiante a realização de audiências na modalidade telepresencial.


☎️ O atendimento ao público segue pelos canais online e, no horário de expediente, pelos seguintes telefones:

PRT Porto Alegre (51) 3252-1500
PTM Caxias do Sul (54) 3201-6000
PTM Novo Hamburgo (51) 3553-7250
PTM Passo Fundo (54) 3316-4300
PTM Pelotas (53) 3310-7700
PTM Santa Cruz do Sul (51) 3740-2550
PTM Santa Maria (55) 3174-1200
PTM Santo Ângelo (55) 3931-3300
PTM Uruguaiana (55) 3414-4800

⚠️ Recomendação nº 1/2024: emissão gratuita de atestados de exposição a enchentes
⚠️ Recomendação nº 2/2024: adoção de medidas trabalhistas alternativas e diálogo social

Empresa da coleta de lixo de Canela, Gramado e S. Francisco de Paula se compromete a cumprir legislação protetiva de empregados

Segurança em máquinas e jornada de trabalho são principais pontos de TAC firmado com o MPT em Caxias do Sul

     A Geral Transportes Ltda., empresa responsável pela coleta de lixo orgânico e seletivo de Canela, Gramado e São Francisco de Paula, firmou termo de ajuste de conduta (TAC) com o Ministério Público do Trabalho (MPT) em Caxias do Sul, comprometendo-se a corrigir irregularidades de segurança de meios ambientes de trabalho da coleta, recebimento e triagem do lixo.

     A constatação das irregularidades se deu em ação fiscal do Ministério do Trabalho (MT), que interditou atividades da coleta e triagem, após reunir elementos que caracterizam risco grave e iminente de acidente de trabalho. Na atividade dos garis, há risco de quedas e atropelamentos e, na de triagem, riscos de contato com materiais contaminados e produtos químicos.

     A interdição gerou a propositura de ação civil pública pelo procurador Ricardo Garcia em Gramado, com o objetivo de obrigar a empresa a corrigir sua conduta para respeitar s legislação trabalhista. O acordo celebrado deverá extinguir a ação em relação à empresa. A ação prosseguirá apenas em relação aos Municípios de Gramado, Canela e São Francisco de Paula, contra os quais remanesce o pedido de responsabilização pela negligência do dever de fiscalizar a regularidade da conduta da empresa por eles contratada.

     O TAC prevê a instalação de dispositivos de segurança em máquinas e proteção antiquedas, capacitação de empregados em segurança e proibição de transportar garis na parte externa dos caminhões e em seus compartimentos de carga, entre outros. Realização de horas extras irregulares e trabalho de empregados em férias também ficam vedados. A empresa fica sujeita a multas de até R$ 30 mil no caso de descumprimento das obrigações, para cada cláusula descumprida. Também deve pagar indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 20 mil.

Clique aqui para acessar o relatório de interdição do MT

Clique aqui para acessar o TAC na íntegra

Texto: Luis Nakajo (analista de Comunicação)
Fixo: (51) 3220-8328

Supervisão: Flávio Wornicov Portela (reg. prof. MT/RS 6132)
Fixo Oi (51) 3220-8327 | Móvel Claro (51) 9977-4286 com WhatsApp
prt4.ascom@mpt.mp.br | facebook.com/MPTnoRS | twitter.com/mpt_rs

Tags: Outubro

Imprimir