• Procuradorias
  • PRT Porto Alegre
  • Fraport, concessionária que administra o Aeroporto Salgado Filho, adere a campanha de enfrentamento ao tráfico de pessoas do MPT

☎️ O atendimento ao público, no horário de expediente, pelos seguintes telefones. O MPT-RS também atende por canais online.

PRT Porto Alegre (51) 3252-1500
PTM Caxias do Sul (54) 3201-6000
PTM Novo Hamburgo (51) 3553-7250
PTM Passo Fundo (54) 3316-4300
PTM Pelotas (53) 3310-7700
PTM Santa Cruz do Sul (51) 3740-2550
PTM Santa Maria (55) 3174-1200
PTM Santo Ângelo (55) 3931-3300
PTM Uruguaiana (55) 3414-4800

⚠️ Recomendação nº 1/2024: emissão gratuita de atestados de exposição a enchentes
⚠️ Recomendação nº 2/2024: adoção de medidas trabalhistas alternativas e diálogo social
⚠️ Recomendação nº 3/2024: adoção de medidas de saúde e segurança do Trabalho em atividades de retomada

Fraport, concessionária que administra o Aeroporto Salgado Filho, adere a campanha de enfrentamento ao tráfico de pessoas do MPT

Vídeos do "Liberdade no Ar" já passam em aeroportos administrados pela Infraero

     A Fraport, concessionária que administra o Aeroporto Salgado Filho, de Porto Alegre, aderiu à campanha contra o tráfico de pessoas, promovida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT). Os vídeos da campanha, chamada de “Liberdade no Ar”, serão passados, neste primeiro momento,  no site da concessionária.

      A campanha foi inicialmente concebida para a comunidade aeroportuária, por onde passam cerca de 60% dos casos denunciados, contando com videoaulas voltadas a aeroviários, com foco na identificação de casos potenciais. Em 2020, no entanto, a campanha foi estendida às redes sociais, dado o aumento do risco de aliciamento e tráfico de trabalhadores, devido à recessão causada pela pandemia do novo coronavírus.

     Dados da ONU indicam que o tráfico de pessoas movimenta mais de US$ 30 bilhões e envolve cerca de 2 milhões de pessoas no mundo, por ano, principalmente para exploração sexual e trabalho forçado. Segundo o Ministério da Justiça, entre 2018 e 2019, 184 brasileiros foram levados do país, sendo 30 crianças e adolescentes.

     Dentre as principais causas estão a ausência de oportunidades de trabalho, a discriminação de gênero, a emigração indocumentada (sem documentos que confirmem a entrada regular no país) e o turismo sexual. Todos os vídeos da campanha são baseados em fatos reais. Veja um exemplo deles aqui.

Legislação
     O Brasil ratificou o Protocolo de Palermo, por meio Decreto nº 5.017/2004. O protocolo é um instrumento legal internacional que trata do tráfico de pessoas, em especial de mulheres e crianças.

      O país também sancionou a Lei 13.344/2016, cujo texto inclui no Código Penal o crime de tráfico de pessoas, tipificado pelas ações de agenciar, recrutar, transportar, comprar ou alojar pessoa mediante ameaça, violência, fraude ou abuso, com a finalidade de remover órgãos, tecidos ou parte do corpo, submetê-la a condições análogas à escravidão, adoção ilegal e/ou exploração sexual.

Tráfico de pessoas
      De 2014 a 2018 (último levantamento divulgado), o MPT registrou 1.260 denúncias de aliciamento e tráfico de trabalhadores, firmou quase 334 termos de ajustamento de conduta (TAcs) e ajuizou 136 ações. A instituição atua nesse tema com ações preventivas e de acolhimento às vítimas, especialmente nos casos de tráfico humano envolvendo trabalho análogo à escravidão e exploração sexual.

      As denúncias contra o crime devem ser feitas por meio do Disque 100 e do Ligue 180, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Casos também podem ser denunciados ao MPT, pelo site www.mpt.mp.br ou pelo aplicativo MPT Pardal (disponível gratuitamente para Android e iOS).

      A campanha é realizada pela Associação Brasileira de Defesa da Mulher, da Infância e da Juventude (Asbrad) com a parceria do MPT, ONU, OIT, do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e da Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Leia mais:

30/7/2019 - MPT recebe mais de 1200 denúncias de aliciamento e tráfico de trabalhadores em cinco anos
5/7/2019 - MPT-RS garante segurança de rebocadores de aeronaves da Latam no aeroporto Salgado Filho

Tags: Setembro

Imprimir