⚠️ Atenção! Devido ao estado de calamidade pública, os prazos nos procedimentos do MPT-RS que vencerem neste período ficam prorrogados até 6/6, com exceção dos casos urgentes, relativos à calamidade pública, e os declarados pelo(a) membro(a) oficiante.

Ademais, faculta-se ao(à) membro(a) oficiante a realização de audiências na modalidade telepresencial.


O atendimento ao público segue pelos canais online.

Recomendação nº 1/2024: emissão gratuita de atestados de exposição a enchentes
Recomendação nº 2/2024: adoção de medidas trabalhistas alternativas e diálogo social

MPT-RS lança metas de sustentabilidade para o biênio 2019-2020

Economia de eletricidade, água e papel estão entre medidas; parte de bens e serviços deve também ser adquirida segundo critérios sustentáveis

     O Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Sul (MPT-RS) apresentou, nesta quarta-feira (11/12), seu Plano de Trabalho Sustentável para o biênio 2019-2020, conjunto de iniciativas e de metas visando, principalmente, a economia de recursos que envolvam matérias primas extraídas da natureza, como consumo de água, eletricidade e papel, em todas as suas unidades no Estado. O plano foi apresentado aos gestores dos diversos setores da sede, em Porto Alegre, com transmissão para as unidades do Interior.

Reunião aconteceu na sala de videoconferência da sede
Reunião aconteceu na sala de videoconferência da sede

     O plano regional tem, por base, as metas definidas pelo Plano Logístico Sustentável (PLS) do Ministério Público do Trabalho para todo o país, com prazo até dezembro de 2022. Entre estas, estão a redução, em relação a 2018, em 10% do consumo de eletricidade e de água per capita; em 70% do consumo de papel e de copos descartáveis per capita; em 12% nos deslocamentos em veículos oficiais; além da inclusão de critérios sustentáveis em licitações e do descarte do material reciclável de todas as unidades do órgão por meio de coleta seletiva solidária.

     O vice-procurador-chefe do MPT-RS, Gilson Luiz Laydner de Azevedo, presidente da Comissão de Gestão Socioambiental da Regional, pondera que o plano é uma pequena contribuição do órgão para auxiliar na solução de um dos principais problemas que afetam o planeta na atualidade, relativo à questão ambiental. Em Porto Alegre, segundo ele, parte das metas, especialmente quanto à economia de eletricidade, já foi alcançada, devido à mudança para a nova sede, ocorrida no fim de 2018, em que houve o cuidado de adotar práticas que viabilizassem a redução do consumo energético (como o uso de lâmpadas de "led").

      Por conta disto, o plano regional tem metas de economia de 20% quanto a energia e água em Porto Alegre, maiores que os definidos pelo PLS nacional. Para as unidades do Interior, foi definida a economia de 5% até 2020. Quanto aos deslocamentos, foi definida a redução em 8% até 2020. Nos procedimentos de compra de bens e serviços ou contratação de obras e reformas, o órgão buscará inserir, sempre que viável, critérios sustentáveis, como maior eficiência energética e logística reversa.

Clique aqui para acessar o PTS 2019-2020 e as metas respectivas.

Texto e foto: Luis Nakajo (analista de Comunicação)
Supervisão: Flávio Wornicov Portela (reg. prof. MT/RS 6132)
Fixo Oi (51) 3284-3086 | Móvel Claro (51) 99977-4286 com WhatsApp | prt04.ascom@mpt.mp.br
www.facebook.com/mptnors | https://twitter.com/mpt_rs | www.instagram.com/mpt.rs

Tags: Dezembro

Imprimir