📅 Atenção! Devido ao estado de calamidade pública, os prazos nos procedimentos do MPT-RS que vencerem neste período ficam prorrogados até 6/6, com exceção dos casos urgentes, relativos à calamidade pública, e os declarados pelo(a) membro(a) oficiante. Ademais, faculta-se ao(à) membro(a) oficiante a realização de audiências na modalidade telepresencial.


☎️ O atendimento ao público segue pelos canais online e, no horário de expediente, pelos seguintes telefones:

PRT Porto Alegre (51) 3252-1500
PTM Caxias do Sul (54) 3201-6000
PTM Novo Hamburgo (51) 3553-7250
PTM Passo Fundo (54) 3316-4300
PTM Pelotas (53) 3310-7700
PTM Santa Cruz do Sul (51) 3740-2550
PTM Santa Maria (55) 3174-1200
PTM Santo Ângelo (55) 3931-3300
PTM Uruguaiana (55) 3414-4800

⚠️ Recomendação nº 1/2024: emissão gratuita de atestados de exposição a enchentes
⚠️ Recomendação nº 2/2024: adoção de medidas trabalhistas alternativas e diálogo social

Em acordo com Cotricampo, MPT em Santo Ângelo obtém indenização de R$ 50 mil

    O Ministério Público do Trabalho (MPT) em Santo Ângelo celebrou nesta terça-feira (13) termo de conciliação com a Cooperativa Triticola Mista Campo Novo Ltda (Cotricampo), sediada em Três Passos. O acordo põe fim à ação civil pública (ACP) movida pelo MPT contra irregularidades na jornada de trabalho nos supermercados da cooperativa. A Cotricampo fica obrigada ao pagamento de indenização de R$ 50 mil, a título de dano moral coletivo, destinada 60% ao Lar Acolhedor e 40% à Associação Missionária de Beneficência, ambas de Três Passos.

    Além disso, ela se compromete a conceder um dia de repouso semanal remunerado por semana a todos os seus empregados, a não abrir seus supermercados aos domingos, exceto onde houver autorização por legislação municipal, e, mesmo que autorizada, a fazer coincidir, minimamente a cada três domingos, o repouso semanal dos trabalhadores com o domingo. Também encontra-se obrigada a não abrir os supermercados ou exigir trabalho dos seus empregados em feriados sem que haja previsão em convenção coletiva de trabalho e previsão em legislação local. Caso desrespeite qualquer destes compromissos, a Cotricampo deve pagar multa de R$ 1 mil por empregado prejudicado. A destinação da multa, caso seja aplicada, será decidida posteriormente.

    A ACP originou-se de denúncia do Sindicato dos Empregados no Comércio de Três Passos. O procurador do Trabalho responsável pelo processo, Roberto Portela Mildner, ajuizou a ação em julho de 2013.

Clique aqui para ler a ACP
Clique aqui para ler o acordo judicial

Texto: Luis Nakajo (analista de Comunicação)
Supervisão: Flávio Wornicov Portela (reg. prof. MTE/RS 6132)
Publicação no site: 15/5/2014

Tags: Maio

Imprimir