📅 Atenção! Devido ao estado de calamidade pública, os prazos nos procedimentos do MPT-RS que vencerem neste período ficam prorrogados até 6/6, com exceção dos casos urgentes, relativos à calamidade pública, e os declarados pelo(a) membro(a) oficiante. Ademais, faculta-se ao(à) membro(a) oficiante a realização de audiências na modalidade telepresencial.


☎️ O atendimento ao público segue pelos canais online e, no horário de expediente, pelos seguintes telefones:

PRT Porto Alegre (51) 3252-1500
PTM Caxias do Sul (54) 3201-6000
PTM Novo Hamburgo (51) 3553-7250
PTM Passo Fundo (54) 3316-4300
PTM Pelotas (53) 3310-7700
PTM Santa Cruz do Sul (51) 3740-2550
PTM Santa Maria (55) 3174-1200
PTM Santo Ângelo (55) 3931-3300
PTM Uruguaiana (55) 3414-4800

⚠️ Recomendação nº 1/2024: emissão gratuita de atestados de exposição a enchentes
⚠️ Recomendação nº 2/2024: adoção de medidas trabalhistas alternativas e diálogo social

MPT em Caxias do Sul intervém em greve dos médicos da rede pública do Município

Órgão requereu que Sindicato Médico seja retirado de negociações da categoria com a Prefeitura e que acabe com o movimento de paralisação iniciado na segunda-feira

     O Ministério Público do Trabalho (MPT) em Caxias do Sul requereu, em caráter urgente, à Justiça do Trabalho nesta terça-feira (19) que o Sindicato dos Médicos de Caxias do Sul não seja mais autorizado a representar os médicos da rede pública perante a Prefeitura. O Sindicato iniciou movimento de paralisação nesta segunda-feira (17) e vem negociando uma resolução com o Município. O MPT requer também que o Sindicato Médico cesse a greve.

     O entendimento do MPT, derivado de acórdão do Tribunal Superior do Trabalho (TST), é de que o Sindicato dos Servidores Municipais (Sindiserv) é a entidade legal para representar estes profissionais. Em audiência, o Sindicato dos Médicos alegou que representava a categoria com base em uma decisão antiga da Justiça Estadual, sem, contudo, apresentá-la. “Isso nos faz entender, até agora, que essa greve está sendo conduzida por quem não está autorizado”, explica o procurador do Trabalho Roger Ballejo Villarinho, responsável pelo acompanhamento da greve.

     A legitimidade do Sindiserv foi reconhecida em reclamatória trabalhista, julgada em favor do Sindiserv pela 5ª Vara do Trabalho de Caxias do Sul, em decisão de 2012, confirmada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT4), em acórdão de 2013, e pelo TST.

     O procurador destaca que a greve articulada pelo Sindicato Médico é abusiva, com paralisação, segundo o próprio sindicato, de cerca de 80% dos profissionais que atendem nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), o que levou mais de 1.200 consultas a serem canceladas apenas no primeiro dia de paralisação.

Clique aqui para acessar o requerimento do MPT

Clique aqui para acessar o acórdão do TRT4
Clique aqui para acessar a decisão da 5ª Vara do Trabalho de Caxias do Sul

Texto: Luis Nakajo (analista de Comunicação)
Fixo: (51) 3220-8328
Supervisão: Flávio Wornicov Portela (reg. prof. MT/RS 6132)
Fixo Oi (51) 3220-8327 | Móvel Claro (51) 99977-4286 com WhatsApp
prt4.ascom@mpt.mp.br | facebook.com/MPTnoRS | twitter.com/mpt_rs

Tags: Abril

Imprimir