☎️ O atendimento ao público, no horário de expediente, pelos seguintes telefones. O MPT-RS também atende por canais online.

PRT Porto Alegre (51) 3252-1500
PTM Caxias do Sul (54) 3201-6000
PTM Novo Hamburgo (51) 3553-7250
PTM Passo Fundo (54) 3316-4300
PTM Pelotas (53) 3310-7700
PTM Santa Cruz do Sul (51) 3740-2550
PTM Santa Maria (55) 3174-1200
PTM Santo Ângelo (55) 3931-3300
PTM Uruguaiana (55) 3414-4800

⚠️ Recomendação nº 1/2024: emissão gratuita de atestados de exposição a enchentes
⚠️ Recomendação nº 2/2024: adoção de medidas trabalhistas alternativas e diálogo social
⚠️ Recomendação nº 3/2024: adoção de medidas de saúde e segurança do Trabalho em atividades de retomada

Operação resgata sete homens de condições análogas à escravidão em fazendas de São Borja

Ação conjunta do MPT com a fiscalização do trabalho e a Polícia Federal encontrou trabalhadores em situação degradante em granjas produtoras de arroz

Homens foram resgatados de alojamentos insalubres em duas propriedades rurais
Homens foram resgatados de alojamentos insalubres em duas propriedades rurais

     Uma ação conjunta da Secretaria de Inspeção do Trabalho do Ministério do Trabalho e Previdência com o Ministério Público do Trabalho (MPT-RS) e a Polícia Federal (PF) resgatou nesta quinta-feira sete trabalhadores que vinham sendo mantidos em condições análogas à escravidão em duas propriedades rurais no interior de São Borja. Os  resgatados estavam alojados em ambientes insalubres e participavam da aplicação de agrotóxicos em lavouras de arroz sem o uso de qualquer equipamento de proteção individual.

     A fiscalização, realizada ao longo da quinta-feira, dia 3/2, visitou duas propriedades rurais e encontrou quatro trabalhadores em más condições em uma das granjas e três em outra. Todos os resgatados são homens adultos originários de cidades da região e estavam, em média, há dois meses nas propriedades. Além de estarem alojados em casebres insalubres, os trabalhadores nas duas fazendas faziam a aplicação de material agrotóxico sem uso de equipamentos de proteção, em situações em que tinham contato com o veneno direto na pele ou mesmo o aspiravam por falta de máscaras.

     De acordo com o procurador do MPT-RS que acompanhou o caso, Hermano Martins Domingues, os resgatados relataram efeitos adversos constantes do contato com o veneno, incluindo tonturas e desmaios. Estiveram também presentes na ação os auditores-fiscais do trabalho Aline Dias de Oliveira Galvão e Jorge André Borges de Souza, da Gerência Regional do Trabalho de Uruguaiana, que abrange a região de São Borja, e o chefe da delegacia da Polícia Federal em São Borja, Marcio Alves Mathias. Um dos proprietários de uma das granjas chegou ao local no momento da inspeção e foi autuado em flagrante. Os homens serão agora encaminhados para a rede de acolhimento.

Texto: Carlos André Moreira (reg. prof. MT/RS 8553)
Fixo Oi (51) 3284-3086 | Móvel Claro (51) 99977-4286 com WhatsApp | prt04.ascom@mpt.mp.br
www.facebook.com/mptnors | https://twitter.com/mpt_rs | www.instagram.com/mpt.rs

Tags: Fevereiro

Imprimir