📱 Nossas unidades estão atendendo por telefone e balcão virtual normalmente.

Para urgências fora do horário de atendimento, ligue:

(51) 3252-1502

Em caso de indisponibilidade da linha acima ou ausência de atendimento,
informe-nos por meio dos seguintes telefones: (54) 99156-6932 / (51) 99341-4381

Relatório do Cerest aponta aumento dos acidentes de trabalho no Virvi Ramos (Caxias do Sul)

Documento entregue ao MPT e ao hospital mostra, também, déficit de profissionais e inconsistências na gestão da saúde do trabalhador

Clique aqui para baixar do Flickr fotos (em alta definição) exibidas no slideshow abaixo (autor: Divulgação / MPT).

     Foi de 5,5% o aumento, em 12 meses, do total de acidentes de trabalho no Hospital Virvi Ramos (HVR), em Caxias do Sul. A revelação consta do Relatório de Vigilância em Ambiente de Trabalho entregue, nesta semana, ao Ministério Público do Trabalho (MPT) e à Associação Cultural e Científica Virvi Ramos (ACCVR), mantenedora do HVR. O documento foi produzido pelos Centros Regionais de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerests) de Caxias do Sul (Serra), Palmeira das Missões (Macronorte) e Santa Cruz do Sul (Vales), integrantes da Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador no Rio Grande do Sul (Renast-RS). O relatório resulta da sétima operação da força-tarefa de adequação das condições de saúde e segurança no trabalho em hospitais no Rio Grande do Sul, realizada de 21 a 25 de agosto.

     Foram registrados 34 acidentes de trabalho desde a última inspeção realizada, compreendendo o período de 6 de setembro de 2016 a 18 de agosto de 2017. Destes, aconteceram 22 acidentes com exposição à material biológico, 10 acidentes de trabalho típicos, 2 acidentes de trajeto, 1 acidente relacionado à violência interpessoal e 1 contaminação intra-hospitalar por tuberculose. Não foi apresentada notificação ao Sistema Único de Saúde (SUS) em 1 caso de acidente de trabalho típico. Também não foi apresentada investigação em 1 caso de exposição à material biológico, em que envolvia aluno da Faculdade Fátima, o qual ocorreu no próprio Hospital. Em comparação com a última inspeção realizada em 2016, houve aumento significativo de acidentes típicos, como impacto contra objetos ou quedas.

     Quase 50% dos acidentes de trabalho concentram-se em no Setor 200 e Bloco Cirúrgico, com proporção de 25% e 22,2% respectivamente. Nestas duas unidades, os profissionais estão mais expostos a acidentes, tanto com exposição à material biológico, como acidentes típicos. Cerca de 61% dos acidentes de trabalho ocorreram entre profissionais técnicos de enfermagem.

     O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) apresentado pela instituição é o mesmo da vistoria anterior, portanto, persistindo as mesmas condições já apontadas no relatório anterior. O programa apresentado abrange diversos estabelecimentos em um único documento, tais como hospital, faculdade, entre outros, contrariando ao estabelecido pela Norma Regulamentadora (NR) a qual indica que as ações do PPRA devem ser desenvolvidas no âmbito de cada estabelecimento da empresa. O programa apresentado não possui ainda planejamento anual com estabelecimento de metas, prioridades e cronograma, assim como não há no PPRA apresentado metodologia para avaliação da eficácia das medidas propostas pelo programa.

     Nas atas da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), existem deficiências importantes que tornam impossível afirmar que a referida comissão cumpre integralmente suas obrigações, colaborando para a formação de ambiente de trabalho mais seguro e saudável.

     Na Unidade de Saúde Mental, no Setor 200 e no Ambulatório de Pronto Atendimento exite déficit de 6 enfermeiros e de 3 técnicos de enfermagem em cada um dos três setores. Foi constatado, ainda, que recipientes de descarte de perfurocortantes estavam com preenchimento acima do limite na sala de emergência e na de coleta de exames. No setor 300, faltam 1 enfermeiro e 5 técnicos de enfermagem. No Setor 400, 3 enfermeiros. Na Agência Transfusional, 2 técnicos de enfermagem. No Bloco Cirúrgico e Sala de recuperação Pós-Anestésica (SARE), no período entre 22h30min e 7h, o setor fica sob supervisão do enfermeiro do CTI adulto ou de outro setor que estiver mais tranquilo, sem escala definida. As enfermeiras constam em ambas escalas, Bloco Cirúrgico e SARE, sem definição de setor para cada uma.

     O Relatório também analisa a gestão da saúde do trabalhador e indica diversos problemas verificados in loco e relatados pelos trabalhadores no Bloco Cirúrgico, Sala de Recuperação (SARE), Setor 200 SUS, Unidade de Saúde Mental SUS, UTI Adulto, UTI Neo, Farmácia Interna, Centro de Materiais Esterilizados  (CME), Setor 300, Setor 400 e SESMT. Os dois últimos Programas de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSOs) analisados não descrevem características da empresa e possíveis impactos à saúde dos trabalhadores, não apresentam dados epidemiológicos, não estabelecem prioridades, não desenvolvem abordagens acerca dos riscos ambientais descritos no PPRA, e não estabelecem medidas a serem adotadas nos casos de alterações nos exames clínicos e complementares.

     O relatório foi assinado pela fonoaudióloga Nicieli Granella Sguissardi (coordenadora do Cerest/Serra), a fisioterapeuta Ida Marisa Straus Dri, a enfermeira Danusa Santos Brandão, a técnica de Enfermagem Rejane Fátima Rech e os técnicos em segurança do trabalho Ben Hur Monson Chamorra (os cinco de Caxias do Sul) e Paulo Ivonir Machado Costa (Palmeira das Missões), mais a médica Adriana Skamvetsakis (Santa Cruz do Sul).

Clique aqui para acessar a íntegra do relatório.

Leia mais

3/10/2017 - Começa operação do MPT no Hospital Santa Cruz (Santa Cruz do Sul)
8/9/2017 - Coren notifica Virvi Ramos (Caxias do Sul) por irregularidade e ilegalidade
25/8/2017- MPT notifica Hospital Virvi Ramos (Caxias do Sul)
22/8/2017 - Começa operação do MPT no Hospital Virvi Ramos (Caxias do Sul)
23/5/2017 - MPT e Hospital São Vicente de Paulo (Passo Fundo) discutem TAC
19/5/2017 - 86 gestores de hospitais do Estado ouvem procuradores sobre força-tarefa
16/5/2017 - Procuradores esclarecerão gestores de hospitais sobre força-tarefa
7/4/2017 - MPT identifica irregularidades no São Vicente de Paulo (Passo Fundo)
6/4/2017 - Renast entrega relatório sobre saúde do trabalhador no hospital Dom João Becker (Gravataí)
4/4/2017 - Começa operação do MPT no Hospital São Vicente de Paulo (Passo Fundo)
29/3/2017 - Relatório aponta ausência de gestão ergonômica no hospital Dom João Becker (Gravataí)
10/3/2017 - MPT notifica hospital Dom João Becker (Gravataí)
7/3/2017 - Começa operação do MPT no Hospital Dom João Becker (em Gravataí)
1/2/2017 - CREA-RS aponta irregularidades no Hospital Conceição (Porto Alegre)
26/1/2017 - Cerest/Serra entrega relatório sobre segurança do Trabalho no hospital Tacchini (Bento Gonçalves)
24/1/2017 - Fiscalização entrega relatório epidemiológico do hospital Tacchini (Bento Gonçalves)
12/1/2017 - Fiscalização em Saúde entrega relatório sobre condições do hospital Tacchini (Bento Gonçalves)

28/12/2016 - Relatório aponta ausência de gestão ergonômica no hospital Tacchini (Bento Gonçalves)
14/12/2016 - Saúde do Trabalhador constata riscos no Hospital Conceição
11/12/2016 - Hospital Conceição não possui conduta respeitável em Ergonomia
9/12/2016 - MPT notifica hospital Tacchini (em Bento Gonçalves)
5/12/2016 - Começa operação do MPT no hospital Tacchini (em Bento Gonçalves)
21/10/2016 - Trabalhadores do Hospital Conceição "pedem socorro"
18/10/2016 - Começa operação do MPT no Conceição (em Porto Alegre)
28/9/2016 - MPT recebe relatório sobre Ergonomia no Hospital Unimed (Caxias do Sul)
28/9/2016 - CREA apresenta ao MPT relatório sobre Hospital Unimed (Caxias do Sul)
15/9/2016 - Cerests apresentam ao MPT relatórios sobre Hospital Unimed (Caxias do Sul)
1/9/2016 - MPT alerta hospitais sobre falta de gestão em saúde e segurança do trabalho
19/8/2016 - MPT notifica Hospital Unimed Caxias do Sul
178/2016 - Máquina interditada no Hospital Unimed Caxias do Sul
16/8/2016 - Começa operação do MPT no Hospital Unimed Caxias do Sul
8/8/2016 - Cerest indica riscos à saúde dos empregados do Hospital Mãe de Deus (Porto Alegre)
4/8/2016 - CREA-RS aponta irregularidades do Hospital Mãe de Deus
2/8/2016 - Manuseio de cargas e pessoas é crítico no Hospital Mãe de Deus, aponta relatório em Ergonomia, primeiro a ser embasado pelo método MAPHO no Brasil
22/7/2016 - Hospital Mãe de Deus (em Porto Alegre) recebe notificação do MPT-RS para adequar aspectos de segurança e saúde do Trabalho
19/7/2016 - Começa primeira operação da força-tarefa dos hospitais gaúchos

Texto e fotos: Flávio Wornicov Portela (reg. prof. MT/RS 6132)
Fixo Oi: (51) 3284-3097 | Móvel Claro (51) 99977-4286 com WhatsApp
prt04.ascom@mpt.mp.br | www.facebook.com/mptnors | https://twitter.com/mpt_rs

Tags: Outubro

Imprimir